segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Quando me dá para ser parvinha

Um amigo disse-me uma vez que facilmente se cai em desânimo quando não se consegue viver do que se gosta. E o melhor que lhe aconteceu foi encontrar um lugar na engrenagem – um emprego – que lhe permite ter como hobby o que gosta de fazer. Conheço mais gente assim, tenho uma amiga que escreve poemas nas horas vagas. Anda em tertúlias com outros como ela. Às vezes acompanho-a nessas coisas, mas muito raramente porque a poesia não me cativa por aí além, e um dia perguntaram-me:

- Também escreves?
- Sim, escrevo. Escrevo listas de compras e às vezes até rimam!

4 comentários:

  1. Eu escrevo no blog e escrevo croniquetas da tanga e ando a tentar um livro, e se não fosse isso já tinha cortado os pulsos...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O ponto de equilíbrio é isto, não é? Eu gosto das croniquetas da tanga :) Fico à espera do livro!

      Eliminar
  2. Ai, eu acho bonito... :)
    Rimas o quê com o quê? Pão com massa de pimentão?
    (esta custou-me um bocadinho...)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olha, acho que nunca fiz essa! Vou apontar :D

      Eliminar