quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Probabilidade ou previsibilidade?

Novidades? Não há novidades. Até há, não têm é interesse e novidade que é novidade precisa de ser interessante aos olhos de quem a pede. Mas posso dizer-te que cortei o cabelo, vi o Adolfo Luxúria Canibal a pôr música no Armazém do Chá, apanhei a maior desilusão da minha vida - Apanhei? Os sinais estavam lá todos. Pior é o cego que não quer ver. -, finalmente consegui ir ao Museu Nacional de Arte Antiga e ver ao vivo e a cores "As Tentações de Santo Antão" do Bosch, a P. acabou a curta e vi o meu nome na ficha técnica, fui ver os Pixies, disse adeus ao dinheiro e desisti do mestrado por falta de confiança na instituição privada de ensino, comprei os Ray-Ban, assisti a um jogo da selecção até ao fim, cheguei a andar com as unhas pintadas de amarelo, fui às Curtas de Vila do Conde, fiz Zumba pela primeira vez, a O. conseguiu convencer-me a ir à noite de poesia, perdi o medo e comi lampreia pela primeira vez em Montemor, comprei um biquíni novo, andei pelo Algarve, onde comi um Dom Rodrigo e coentros no arroz de marisco, reli "O cão dos Baskervilles", peguei na "Correspondência de Fradique Mendes" e decidi reler "A Morte de Ivan Ilitch". Casa pintada, quadros e andorinhas afixadas. Finalmente juntei os meus amigos para jantar em minha casa, fiz uma tatuagem nova e já planeei a próxima, continuo a ouvir os Clash para me lembrar de reagir. O facto de não gostar de Ala dos Namorados não me impediu de ir a Águeda só pela companhia. Conheci a Alice e o Vicente. Os laços de sangue são sobrevalorizados e o que me une aos outros está para além disso. Os meus sobrinhos, os de sangue e os emprestados, dão-me muitas alegrias. E, ao contrário do que seria normal, eles é que me protegeram muitas vezes. A dificuldade em engordar passou a facilidade em emagrecer. Estou a tomar vitaminas. Comprei um par de calções brancos, resgatei o blazer azul de botões dourados e usei a blusa sem costas. Fui a um workshop de automaquilhagem. Descobri que posso morar em qualquer lado, mas a cidade do Porto é a minha casa. Quero que o amor se foda e continuo a não achar piada a homens demasiado bonitos. O mar faz-me falta, gosto mais da minha versão bronzeada, o azul continua a ser a minha cor preferida, o Chance Eau Fraiche da Chanel será sempre o meu perfume de eleição e mantenho o fascínio por crânios e ossadas pela certeza de sermos todos iguais por dentro. E tu, novidades?

- Fui novamente ao Peru e voltei a achar piada ao guia... sou tão previsível!

2 comentários:

  1. Azul, confere ;)
    Os crânios das mulheres são diferentes dos crânios dos homens, mas isso tu sabes.

    ResponderEliminar