sexta-feira, 31 de outubro de 2014

O melhor irmão do mundo era meu

Eu sei onde estava a 31 de Outubro de 2001. Estava no autocarro da Rede Expressos. Vinha de "fim de semana" e tive como companhia de viagem a Ana Sofia. Peguei no telemóvel várias vezes para o pousar o mesmo número de vezes. Queria ligar ao meu pai para dar o recado à minha mãe: mãe, esmera-te no jantar que eu vou chegar cheia de fome! Não o fiz, era um pedido ridículo. A minha mãe sabia que eu estava a chegar. E não precisava de pedir, ela nunca falhou nos meus favoritos. Também sabia que o meu pai não me ia ouvir bem, teria de gritar e repetir tudo uma e outra vez. Não precisava que todos os tripulantes ficassem a saber que a "princesa" estava a encomendar aos berros o jantar ao pai. Quando cheguei a casa já não te vi. Não falei contigo. Devia ter ligado. Não ia adiantar nada. Queria ter-me despedido de ti. De vez em quando ouço KoRn e Moonspell. Primitive Reason também. E imagino que ainda aqui estás.

10 comentários:

  1. 313 km de beijinhos e um bocadinho de colo de mãe, companheira. Mando eu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada por estas e pelas outras palavras :)

      Eliminar
  2. É preciso ter uma força imensa para ultrapassar o desgosto de se perder alguém tão próximo. É uma ferida sempre aberta, de saudades.

    ResponderEliminar
  3. Sabes que nem consigo dizer nada...
    Um beijinho*

    ResponderEliminar
  4. Um grande beijinho. As saudades permanecem. As recordações também. O amor é eterno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho muitas recordações felizes e muitas saudades. Beijinho.

      Eliminar