quinta-feira, 23 de maio de 2013

Não levantarás falsos testemunhos


A propósito desta imagem, ontem, a minha amiga H. disse: que Deus me perdoe, mas o puto é feio para caralho! Concordei com a declaração de ‘feiosidade’ do puto e lembrei-me de um episódio que aconteceu há uns dias atrás. Uma moça que trabalha comigo trouxe o bebé, que está a fazer um ano, para nos mostrar orgulhosamente a evolução do rebento. Vai daí, o miúdo é feio. Não disse nada em relação à beleza porque sei comportar-me bem socialmente. Não sei mentir, mas até teci elogios rasgados como "está tão grande", "é tão esperto", "é despachado" e "é simpático". Apesar disso tudo, uma pessoa não é de ferro e assim que ela saiu tive que o dizer: foda-se, o miúdo é feio! As minhas colegas, em tom reprovador, disseram: não digas isso que deus castiga-te!

Deus castiga-me?! Deus castiga-me como?! Dá-me um filho feio ou, como diz a minha amiga Saloia, despenteia-me?! Se algum dia tiver um filho e se este for feio, gostarei dele e para mim será bonito e farei a mesma figura das mães de filhos feios. Mãe é mãe. Qual é a crise? Para mim não é nenhuma.

4 comentários:

  1. Preocupações que terias que ter se Ele existisse.
    Está descansada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não preciso de mais nada. Já estou descansada.

      Eliminar
  2. Como o teu cabelo é selvagem... o despentear não será muito notável :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Andar despenteada é a minha imagem de marca. Não é um estado, é um modo de vida :D

      Eliminar